segunda-feira, 16 de março de 2009

NUNCA MAIS UM ENCONTRO FEMINISTA SEM NÓS!

Por: Gabriela Veloso, Maria Camila e Roseane Ribeiro.

1200, este é o número de participantes do XI Encontro Latino Americano e do caribe - EFLAC que ocorre do dia 16 a 20 na Cidade do México. Dissemos 'participantes', por que pela primeira vez não só mulheres participam, mas também travestis. Pois bem, isso é assunto para um outro artigo a ser postado após a mesa de discussão que ocorrerá amanhã dia 17. O cadastramento do evento começou desde as 9 da manhã de hoje, quando ainda estavamos no aeroporto passando pela ultima etapa de toda essa burocracia que foi para conseguir entrar no México, que é a alfandega. A abertura se iniciou as 18:30h, quando foi exibido um vídeo sobre algumas feministas históricas da América latina, no entanto, sentimos falta de uma ou mais feministas brasileiras nele. Porém esperamos que ao decorrer do encontro, não só feministas brasileiras como também jovens, negras sejam visibilizadas! Além disso, a abertura contou com alguns rituais de culto a natureza, dentre eles um especial que retratava através da pintura no corpo das mulheres o aprisionamento delas, e que as forças da natureza trazem a autonomia do corpo das mulheres. Ao término da abertura, enquanto acontecia um coquetel para recepcionar as feminista nós entrevistamos a Maria de Lourdes Maya, de 26 anos e que é participante do Elige - México. "Lúlu", como é conhecida, já se identifica e atua na causa feminista há 4 anos. Para ela, ser jovem feminista é um desafio em dois sentidos, por um lado as jovens são discriminadas pela "falta de experiência", e além disso necessitam ter uma posição frente ao mundo. Ela contou ainda sobre o desafio de ser uma jovem que está na organização do encontro "muitas vezes falta congruência entre as feministas, por que por sermos jovens de repente elas creem que pode guiar molestias contigo". E acrescentou a respeito de suas espectativas " creio que toda América Latina tem condições muito particulares que as diferenciam de outras zonas. Por isso é muito importante que as mulheres desta região dialogem e participem na construção de uma nação onde se pode viver sem discriminação com equidade, e respeitando a diversidade entre as pessoas, sobretudo entre as mulheres jovens!"

** A proposta desta edição especial do Diálogo Jovem não é produzir textos jornalísticos, mas fazer com que as jovens que não estão aqui possam acompanhar este momento histórico. Por isso, acompanhe o blog ao decorrer do encontro!


4 comentários:

Ale Guerra disse...

ahhh moças, que massa!
como queria estar aí compartilhando com vcs esses preciosos momentos! mas fico aqui acompanhando blogs e notícias.
Saudações lésbicas, jovens e feminsitas!
Ale Guerra
LAMCE

Fernanda disse...

Queridas queridas companheiras,
alegria e luz no coração por saber que vocês estão inteironas e ativas por aí. Acompanharei o Diálogo Jovem com entusiasmo, torcendo para que vcs estejam curtindo tudo que puderem! Recarregar as baterias feministas, e por todas nós, nestes tempos é preciso! A nossa luta é todo dia!! Bj grande Fê Papa

DEUSA PAGÃ disse...

aiiii que saudadesssssssssssss
hehehe...bjos, te amo..
ah!Tem postagem nova! abraços, Deusa Pagã!

ROSEANE RIBEIRO ARÉVALO disse...

oi